Encarnação (José de Alencar, 1877)? É livro religioso?

Após terminar minha viagem ao mundo das índias em Iracema, decidi ler algo diferente e, nesse momento, me deparei com um livro, que também comprei por R$2,50 na Bienal do livro, chamado Encarnação, também do José de Alencar. Esta obra também está presente em domínio público, podendo ser lido completamente de graça. Fantástico, não?

Encarnação foi o último livro do autor; que morreu meses depois, no dia 12 de dezembro de 1877 com tuberculose. O livro anterior a esse foi o conhecido Senhora, que se tornou um clássico e está na lista do Mussa, logo lerei também. Porém, é bem curioso pensar essa última obra nesse contexto, especialmente porque o tema principal, para mim, é a aceitação da morte e o seguimento da vida. Há quem diga, também, que nesse livro ele expressa um pouco de sua visão espiritualista anterior a morte, mas eu acho um pouco exagerado e eu vou explicar durante a resenha o porque dessa minha opinião.
Posso garantir a vocês desde já que é um livro muito bom, com personagens bem elaborados e cativantes, de leitura bem agradável (menos poética que Iracema, mas muito flúida) e que me surpreendeu várias vezes, a ponto de ficar pasma e parada na página pensando - não acredito que isso aconteceu! O final também é maravilhoso e eu recomendo muitíssimo mesmo! Leiam!
Depois disso tudo, já está na hora de irmos para a história do livro, não? 

"Considerava o estado conjugal uma simples partilha de vida, de bens, de prazeres e trabalhos.
Estes, não os queria; os mais, ela os possuia e gozava, mesmo solteira, no seio da família.

Era feliz; não compreendia, portanto, a vantagem de ligar-se para sempre a um estranho, no qual podia encontrar um insípido companheiro, se não fosse um tirano doméstico."

A obra tem dois grandes personagens principais. A que começa falando no capítulo 1 é Amália. Ela é uma jovem formosa, rica, na casa de São Clemente, e de personalidade muito inquietante. Entre ironias, opiniões incomuns para uma jovem da época, seduções, está a relação dela com o outro personagem principal, que aparece no capítulo 2: Hermano, seu vizinho.
Hermano é um homem calado e rico que se casa com Julieta, uma mulher simples da qual muitos recusaram que os dois poderiam ficar juntos. Apesar dessas dificuldades, os dois ficam noivos, casam e moram juntos ao lado de Amália.
A jovem vizinha observava o novo casal, os admirando pelo seu amor e começando a misturar seus sentimentos de inveja e respeito por Julieta. Isso tudo, porém, se complexifica quando, ao tentar Julieta ter um filho, os dois morrem, deixando Hermano sozinho.

" - Minha alma não podia separar-se da tua, Hermano."

A partir desse momento Hermano finge estar bem para a maioria das pessoas, mas fica perceptível a presença de comportamentos incomuns tanto para seus amigos quanto para a própria Amália, que observa o viúvo escondido. O personagem anda sozinho com flores, como se fosse entregar para alguém; se encontra com uma mulher de cabelos negros que, de longe, lembra um pouco de Julieta e mantém dentro de sua casa os cômodos da esposa falecida ainda inteiros e preparados, como se ainda estivesse viva
Amália, que é uma personagem de desafios, vai se sentindo cada vez mais seduzida por esse viúvo, apesar das curiosas atitudes deste e decide que é esse o homem que ela quer casar. Isso mesmo, ela decide se casar com um homem que tem fixação pela ex-esposa morta. E, em contraponto, ela também demonstra, apesar de seu amor por Hermano, um grande interesse pela vida de Julieta. É um sentimento bastante dúbio.

"Por quem Amália, porém, mais se interessava era pela pessoa que já não existia: pela mulher que Hermano amava. Ela a considerava já como uma irmã sua; evocava a sua imagem; falava-lhe, e ficava contente de vê-la feliz por ter inspirado ao marido aquele amor indelével."

O livro começa a percorrer com Amália tentando se aproximar de Hermano, envolvendo família e amigos para que os unisse. Durante tentativas fracassadas e vitoriosas que se unir a ele, sua percepção começa ficar mais clara sobre o homem que ama. Parece que, de fato, a prisão dele a memória de Julieta é mais forte do que Amália pode controlar.

"Henrique Teixeira compreendeu logo o sentimento de Amália. Essa moça, outrora tão positiva, pairava agora no mundo da fantasia. Desde que Julieta vivia para o marido, e o acompanhava, ainda e sempre, esse marido não era para a moça um viúvo, e o seu casamento com outra mulher seria um crime, um adultério."

Mesmo assim, Amália permanece firme em se casar com ele. Todavia, tinha uma condição: de que não houvesse no novo marido nenhum sinal de arrependimento ou de hesitação, propondo até se separar dele (algo muito sério naquela época). Apesar de Hermano ter prometido que jamais haveria de ocorrer, o receio por trás da determinação da menina se tornava cada vez mais presente.

"O que ela temia sobretudo era um erro fatal."

Não demorou muito para que a jovem esposa percebesse o quanto jamais ocuparia o espaço da antiga mulher. Era proibido que se assentasse onde Julieta sentou, usasse seu cômodo ou mudasse alguma regra que a ex-mulher havia colocado sobre a casa. Por fim, Hermano foi demonstrando vários sinais de arrependimento e de incapacidade de seguir em frente.

"- Tenho um pressentimento!
- Não diga isto!
- Não serei sua mulher, Hermano!"

O relacionamento já estava em crise. Amália ficara infeliz, decidida em separar e Hermano não queria prejudicar sua esposa com a separação, propondo se matar. Isso cria uma nova crise no relacionamento, agora com Amália não desejando mais que o marido fizesse algo contra sua vida, tentando ver o que poderia fazer para salvar o casamento. Foi quando ela, procurando ver se o marido tinha uma arma, descobre o mais assustador segredo do amado. Essa é a melhor parte do livro, então não contarei!

Esse segredo revelará como Amália vai lidar com o novo marido e quais posições tomará. Também é pensando nesse segredo que o autor colocou o nome do livro. E, por não se tratar de uma encarnação, no sentido espírita mas no sentido simbólico, discordo que haja uma posição espiritualista no livro.

E o que vocês acham? Qual que vocês acham que é o final do livro?
Espero que vocês gostem tanto dele quanto eu! 

Um abraço e até a próxima leitura. 

Um comentário:

  1. Fiquei curiosa com o segredo .-.
    Entrou na minha lista de desejados!

    Um beijo

    ResponderExcluir